Luis Filipe Borges

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email

Nasceu na ilha Terceira e nela viveu até aos 18 anos, tendo de voltar sempre um mínimo de duas vezes por ano “sob risco de ressaca”. Defensor feroz da ilha, “pela História incrível de Angra, duas vezes capital do Reino, pela sua abertura ao mundo e espírito liberal, a hospitalidade e a gastronomia”.

Elege como recanto especial na ilha uma igreja em ruínas na zona de São Mateus onde procura passar um bocadinho solitário de cada vez que regressa a casa. A igreja tem a sua fachada ainda inteira e fica relativamente isolada junto ao mar numa zona onde, com bom tempo, se consegue ver toda a ilha de São Jorge.

Um amigo de Luis Filipe Borges que visite a Terceira, não pode deixar de conhecer o  Algar do Carvão, Serra do Cume, Biscoitos, Serretinha, Monte Brasil, toda a marginal da Praia da Vitória, Lagoa das Patas e perder-se em passeio pelas ruas centenárias de Angra Património Mundial.

A fotografia tipo postal, a dizer “Eu estive aqui”, é para ele difícil escolher, “mas uma foto desde o miradouro da Serra do Cume com vista para a “manta de retalhos” fica sempre muito bem.”

Não é fã de touradas, mas abre uma excepção para essa grande tradição comunitária que são as versões “à corda”. Os touros voltam a casa e os cidadãos festejam em casa uns dos outros, onde mesmo desconhecidos são recebidos com mesa farta e aquele calor que reservamos aos amigos.

As Sanjoaninas são sem dúvida as festas que viveu com mais intensidade. Até porque ainda só conseguiu voltar a viver essas festas uma vez após ter ido viver para Lisboa, aos 18 anos. Todos os anos passa também uns dias nas Festas da Praia que lhe sabem maravilhosamente.

A nível gastronómico, o que o deixa com água na boca é a Sopa da Tia Urânia, na Adega Lusitânia, em Angra.

Viveu muitas histórias divertidas na ilha, mas a memória que ficará sempre consigo prende-se com a concretização dum sonho antigo: quando conseguiu levar uma semana inteira de “5 para a Meia-Noite” à sua cidade-natal e em plenas Sanjoaninas.

Para Luis um dia perfeito na Terceira é um dia de céu azul, a melhor comida do arquipélago e uma tour de mergulhos entre amigos: Serretinha, 4 Ribeiras, Silveira, Biscoitos e Praia da Vitória. Se algum amigo tiver barquinho, é imperdível ir ao banho ali mesmo entre os Ilhéus das Cabras.

Luis Filipe Borges, 41 anos, argumentista, comediante e apresentador

 

Artigos Semelhantes