Os Açores

Conhecidas pelas suas belezas naturais, premiadas em categorias como Turismo Sustentável ou Turismo de Aventura, e memoráveis pelas experiências que proporcionam aos seus visitantes, as 9 ilhas dos Açores compõe um arquipélago de uma beleza singular, que durante séculos encantou visitantes e apaixonou residentes.

Oficialmente Região Autónoma dos Açores, é um arquipélago transcontinental, de natureza vulcânica, e um território autónomo da República Portuguesa, situado no Atlântico Nordeste, dotado de autonomia política e administrativa.

Sob o ponto de vista geográfico, as ilhas distribuem-se por três grupos: o grupo ocidental, constituído pelas ilhas do Corvo e das Flores; o grupo central, formado pelas ilhas Graciosa, Terceira, S. Jorge, Faial e Pico; e o grupo oriental, materializado pelas ilhas de S. Miguel e de Santa Maria. A sua população atual (dados de 2018) ronda os 242.000 habitantes.

Povoadas pelos portugueses a partir de meados do século XV, a sua localização fez com que as ilhas açorianas constituíssem durante séculos uma autêntica encruzilhada nas rotas transatlânticas.

Na fase da navegação à vela, devido ao regime de ventos e correntes, as embarcações provenientes do Atlântico Sul faziam uma larga rotação que as trazia até às proximidades do Grupo Ocidental, cruzando depois o arquipélago em direcção à Europa. É esse o percurso que ainda hoje costuma fazer a navegação de recreio, utilizando como ponto de apoio o porto da Horta, ilha do Faial.

A população Açoriana é marcante pela sua hospitalidade, gastronomia, tradições, e pela herança histórica que marcou as ilhas e que pode sentir-se nas suas ruas e nas suas gentes.

Nos dias de hoje, para viajar para o arquipélago, pode recorrer-se às diversas ligações aéreas existentes. Existem disponíveis ligações diárias ao continente Português, e semanais a outros pontos da Europa e da América do Norte.

Durante todo ano estão igualmente disponíveis voos diários inter-ilhas e, no período do verão, existe a possibilidade de usufruir também dos transportes marítimos para este efeito.

Os queijos não podem ser esquecidos, desde os frescos de leite de Cabra aos curados de Leite de Vaca. A passagem por algumas das fábricas é obrigatória e os queijos são degustados no seu local de produção.

Para acompanhar todos os pratos e doçaria, da região vinhateira dos Biscoitos, marcada pela vinha disposta em “curraletas”, nasce o Vinho Verdelho. Ao visitar o Museu do Vinho dos Biscoitos, conseguirá perceber, um pouco, a dinâmica da tradição e da cultura da vinha e do vinho dos Biscoitos. Também é possível realizar passeios organizados às adegas.

A produção biológica tem ganho peso nos últimos anos e algumas abrem as portas para visitas que nos mostram todo o ciclo desde a produção até à mesa. As pequenas explorações agrícolas locais são mais propensas a utilizar práticas sustentáveis e a cultivar uma variedade mais vasta de culturas. Cultivam legumes que são únicos e inspiradores para cozinhar.

Há muitas razões para comprar local, a melhor razão de todas é o sabor. A comida que não viaja tão longe é mais fresca.

A Gastronomia e os vinhos são a chave de ouro para umas férias completas de natureza, histórias e sabores!

Tours, Programas e Oportunidades...

Sugestões onde comer…

Espaços que pode encontrar