Touradas à corda

A Tourada é ancestral e a ilha mantém várias ganadarias activas. A actividade divide-se em touradas de praça e as típicas touradas à corda, em que o touro corre pelas ruas da localidade preso por uma comprida corda segura por um grupo de homens, conhecidos como os pastores. A época taurina decorre entre 1 de Maio e 15 de Outubro.

Preparado para
uma aventura única?

A tourada à corda é considerada a maior manifestação de caráter popular dos Açores, sendo um espetáculo específico desta região, principalmente do Grupo Central, com particular expressão na ilha Terceira. Tem como elemento central o Toiro Bravo, que é idolatrado pelas nossas gentes e por todos os que nos visitam.

Realizam-se touradas à corda nas ilhas de São Jorge, Graciosa, Pico e Terceira, sendo esta última a ilha que regista o maior número de espetáculos por ano, com mais de 200 festejos. 

Tal é a importância do gado bravo no imaginário popular terceirense que se atribui aos toiros a vitória na Batalha da Salga, a 25 de julho de 1581, ao expulsarem as tropas invasoras castelhanas, Assim, a ilha Terceira ficou registada na História como o último reduto português a resistir ao domínio Filipino. Por este facto, estão também representados (os toiros) no brasão da Região Autónoma dos Açores. 

A primeira referência à tourada à corda surge, apenas, em 1622, por ocasião das celebrações, em Angra, pela canonização de São Francisco Xavier e de Santo Inácio de Loyola. Nessas celebrações “correram-se” toiros de corda pelas ruas da cidade. Porém, acredita-se que já existiam estas manifestações populares muito antes.

Não obstante a origem da tourada à corda se perder na memória dos tempos, este espetáculo de cariz popular encontra-se, atualmente, devidamente legislado com um conjunto de normas que garantem o seu bom funcionamento, a saúde e o bem-estar do animal, bem como a segurança da população. 

Quando posso ver uma Tourada? As touradas à corda realizam-se de 1 de maio a 15 de outubro de cada ano civil.

Na ilha Terceira, as touradas à corda têm início nos seguintes horários:

  • de 1 de maior a 15 de agosto: 18h30;
  • de 16 de agosto a 15 de setembro: 18h00;
  • de 16 de setembro a 30 de setembro: 17h30;
  • de 1 a 15 de outubro: 17h00.

Como sei que o toiro está na rua? A saída do toiro da gaiola é assinaladas com um foguete e a sua recolha com dois.  O final da tourada é assinalado com o lançamento de vários foguetes. 

Qualquer pessoa pode ir para cima das gaiolas? Não. É proibida a permanência de pessoas não autorizadas em cima das gaiolas dos toiros. 

Qualquer toiro pode ser corrido? O toiro só pode ser corrido mediante autorização do médico veterinário e após descanso obrigatório entre duas touradas.

Para onde vão os toiros no final da tourada? Imediatamente após o termo da tourada, os toiros são transportados, nas gaiolas, para o seu habitat natural (o mato).

Como sei que estou no arraial? Os limites do percurso da tourada à corda, que definem o arraial, são assinalados por três riscos brancos no chão e um sinal indicativo de tourada. com o manejo da corda, os pastores procuram garantir que o toiro não ultrapasse esses limites.

Quanto tempo está o toiro na rua? A lide de cada toiro tem a duração mínima de 15 minutos e máxima de 30 minutos.

Existe alguma regra para o estacionamento e circulação de veículos? É proibido o estacionamento de veículos no percurso da tourada à corda, bem como a sua circulação durante a lide dos toiros. Em todas as freguesias, em dia de tourada, existem percursos de circulação alternativos. 

Estou seguro em qualquer sítio? Não. Tendo em conta que se trata de um espetáculo com animais bravos precisa ter em conta certos aspectos para salvaguardar a sua segurança.

  • Chegar ao local onde se vai realizar a tourada pelo menos 30 minutos antes do início da mesma;
  • Se chegar ao local e o touro já tiver saído, é necessário aguardar antes do risco até o touro ser recolhido (após ouvir os dois foguetes que sinalizam a recolha do animal);
  • Assistir a tourada num local seguro. Os proprietários dos palanques, casas, varandas, oferecem, normalmente, um lugar a quem lhes pede para assistir à tourada na sua propriedade;
  • Assistir à tourada no caminho pode ser perigoso; caso queira fazê-lo é importante manter uma distância adequada do toiro, ficando junto de locais onde possa facilmente fugir/proteger-se;
  • Tenha cuidado com a corda, pois pode ser igualmente perigosa;
  • Esteja alerta caso permaneça junto aos riscos, pois com a vinda do toiro nessa direção, o aglomerado de pessoas pode gerar situações de atropelamento;
  • Em caso de dúvida peça ajuda aos habitantes locais.

 

 

Touradas à Corda Outubro
Dia 1 – C.Caldeiro – Biscoitos – E.R. – 17h00.
Dia 1 – C.Mercês – Feteira – J.A.F. – 17h00.
Dia 2 – C.Mercês – Feteira – F.P. – 17h00.
Dia 2 – C.Capitão Mor – S.Mateus – A.L.F. – 17h00.
Dia 3 – L.Igreja – Lajes – R.B. – 17h00.
Dia 4 – L.Igreja – Lajes – J.A.F. – 17h00.
Dia 5 – L.Igreja – Lajes – E.R. – 17h00.
Dia 5 – Serra – Ribeirinha – A.J.F. – 17h00.
Dia 5 – Terreiro – S.Mateus – H.F. – 17h00.
Dia 6 – L.Igreja – Lajes – J.G. – 17h00.
Dia 7 – L.Igreja – Lajes – J.G./E.R. – 17h00. (Bezerrada).
Dia 8 – L.Igreja – Lajes – H.F. – 17h00.
Dia 8 – R.Emigrante – S.Bartolomeu – J.G. – 17h00.
Dia 8 – Bairro – Lameirinho – A.L.F. – 17h00.
Dia 8 – Ponte Nova – Feteira – R.B. – 17h00.
Dia 9 – L.Igreja – Lajes – F.P. – 17h00.
Dia 9 – Pesqueiro – S.Bartolomeu – F.H.F. – 17h00.
Dia 14 – L.Cruz – P.Judeu – F.P – 17h00.
Dia 14 – Juncal – P.Vitória – H.F. – 17h00.
Dia 14 – C.Santo António – P.Santo – F.H.F. – 17h00.
Dia 15 – L.Cruz – P.Judeu – F.H.F. – 17h00.
Dia 15 – Bairro – T.Chã – E.G. – 17h00.
Dia 15 – Areeiro – Fontinhas – E.R. – 17h00.
Dia 15 – Terreiro – Serreta – E.R. – 17h00.
Fonte: Grupo – Touradas à Corda da Ilha Terceira